Pesquise

Entenda a Região


Lupa Close

Coronavírus (COVID-19)



Prezados Associados e Amigos,

Estamos vivendo momentos delicados em que o mundo se consterna diante do COVID-19. Vamos atravessar uma turbulência social e também nas nossas finanças que ninguém, ninguém pode prevê o final da situação. Lamentamos tudo e estamos no mesmo barco.

O pior são as falsas notícias ou notícias salvadoras que só atrapalharam e criam o segundo vírus: o pânico/incerteza.

Neste momento gostaríamos de dar boas notícias, mas nem mesmo as fontes oficiais as têm. Vejam os decretos! Cada Prefeitura está tentando equacionar a forma de lidar com o inimigo e pedindo sacrifício dos munícipes e empresários, mas em momento algum falaram ou apontaram qual a solução para as empresas fechadas e os colaboradores direto e indireto. Entendemos que todos devem contribuir. Nós já sabemos a nossa e a deles?

Mesmo assim, o RVMC&VB só tem a declarar que em nome da vida, da nossa ética e, munidos da consciência de cidadãos, devemos apoiar as medidas que os três municípios adotaram. Embora Resende tenha sido o único município que não decretou o fechamento 100% dos meios de hospedagem, aqui fazemos um apelo que acompanhe os esforços das duas outras Prefeituras. O remédio é amargo, mas acreditamos que a vida está em primeiro lugar.

É imprescindível que cada um de nós faça a sua parte, com união e cooperação. Segundo especialista e a exemplo da China, o distanciamento social acaba sendo o método mais eficaz na prevenção do contágio. Portanto solicitaremos que os três municípios tenham unanimidade quanto ao isolamento da região turística de Visconde de Mauá. Embora seja um esforço econômico, vale à pena o sacrifício agora para não prolongarmos a agonia, afinal somos um destino sustentável e neste momento precisamos ter um posicionamento humano/ ético.

Algumas demandas que sugerimos como parte dos remédios, para que sejam um esforço coletivo das três Prefeituras: a) fazer um cinturão evitando a entrada de pessoas, exceto moradores, utilitários de entrega, caminhões de leite ou serviços de utilidade pública, no Pórtico da Capelinha; b) ampliação dos serviços de primeiros socorros (com mais médicos e equipamentos) aqui no Posto de Saúde; 3) utilizar a Guarda Municipal para coibir presença nas cachoeiras, assim como meios de hospedagem que se utilizavam do Airbnb e burlar os esforços; 4) aproveitar a oportunidade das ações para buscar regularizar o comércio clandestino. Estas medidas deveriam ser uma munição para atacar o inimigo comum. Assim, nos deixariam mais tranquilos e confiantes diante dos esforços que nos foi exigido.

Para finalizar, em função das possibilidades de empréstimos, com taxas diferenciadas, de linhas de créditos que o governo Federal ou Estadual venha oferecer, para além de capital de giro, implantar, ampliar, modernizar ou reformar atrativos, além de adquirir máquinas e equipamentos, a contratação do crédito só será permitida a prestadores de serviços elencados no art. 21 da Lei 11.771/2018, aqueles que estejam devidamente inscritos no Cadastur, o cadastro oficial de operadores da área. Assim, antecipamos os nossos serviços e estamos fazendo plantão no PIT a partir de terça feira na parte da tarde. Três por dia. A nossa diretora Ana Luiza vai fazer plantão para ajudar preencher o formulário pela internet.

Segue abaixo os dados que iremos precisar para efetuar o Cadastur:

Razão Social do Empreendimento, CNPJ, endereço e telefone;

Endereço de e-mail, CPF do responsável, data de nascimento;

Atividades Turísticas ligadas no CNPJ (objeto da empresa, está no contrato social)

CNAE principal (por exemplo, aqui somos pousada e restaurante, mas nosso CNAE principal é hospedagem)

Foto do alvará de funcionamento, sem esta não conseguirmos fazer o Cadastur.

OBS: Quem não souber verificar os dados no contrato social, leve uma cópia para facilitar o procedimento.

Namaste,

Paulinho Gomes – Presidente

Convention & Visitors Bureau da Região de Visconde de Mauá

Aumentar foto